Conheça melhor este tratamento inovador

Várias lesões do sistema nervoso central estão sujeitas a intervenções que podem ser necessário reabilitação e melhora da qualidade de vida dos pacientes. A toxina botulínica tipo A produzida pela bactéria Clostridium botulinum, foi aprovada pela Anvisa em 1992 e regulamentada pela lei 9656/98. Ela provoca o relaxamento muscular pelo bloqueio temporário dos impulsos nervosos. Quando a toxina é bem indicada dentro de um programa de reabilitação e realizado por um médico habilitado, observa-se vantagens sem precedentes para melhora da funcionalidade e qualidade de vida. O uso da toxina revelou-se uma alternativa segura e efetiva, se indicado corretamente e realizado por um médico com treinamento adequado. O uso terapêutico para várias indicações já fazem parte da cobertura dos planos de saúde.

 

Vantagens

  • Procedimento pode ser feito no consultório;
  • Retorno à rotina diário geralmente no dia seguinte;
  • Reduz o uso de medicamentos antiespásticos;
  • Melhora as atividades funcionais dos pacientes;
  • Pode ser administrada sem anestesia geral;
  • Não apresenta complicações significativas;
  • Pode retardar ou evitar procedimentos cirúrgicos.

 

Duração

Dependente do caso clínico do paciente e tipo de enfermidade. O tratamento pode ser repetido a critério do médico e necessidade do paciente, respeitando o intervalo mínimo de três meses, no sentido de evitar a formação de anticorpos (o que aumentaria o risco de alergias ou do não funcionamento do medicamento).

 

Indicações

A indicação depende da necessidade funcional e da possibilidade real de ganhos para o paciente. Ela geralmente é usada dentro de um programa de reabilitação para tirar o máximo proveito do efeito medicamentoso.
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária aprova o uso da toxina botulínica como tratamento médico reabilitador que pode ser usada:

  • Enxaqueca crônica (o efeito não é imediato, mas reduz a intensidade, duração e/ou frequência das dores após alguns dias de tratamento);
  • Na contração involuntária da musculatura (o produto ajuda em diversas regiões como rosto, pescoço ou coluna cervical);
  • Pacientes vítimas de AVC (a toxina facilita o movimento melhorando a qualidade de vida);
  • Sequelas motoras com predomínio de espasticidade em portadores de paralisia cerebral;
  • Distúrbios de movimentos involuntários de MMSS, distonias cervicais associadas à dor;
  • Câimbra do escrivão;
  • Controle da hiperidrose (transpiração excessiva de algumas partes do corpo como palmas das mãos, pés e axilas);
  • Sialorréia (excesso de salivação) e alguns distúrbios da movimentação ligados a doença de Parkinson;
  • Bruxismo (é feita a contração excessiva que provoca o fechamento da mandíbula e das arcadas dentária);
  • Aumento do tônus muscular (problema que ocorre quando há uma hipertrofia dos músculos ao serem contraídos e compromete a realização de tarefas diárias);
  • Pacientes com incontinência urinária (a toxina é injetada na bexiga dos pacientes, relaxando o músculo e abrindo mais espaço para o armazenamento da urina).

 

Contra-indicações

  • Gestantes ou mulheres durante o aleitamento materno;
  • Alergia conhecida ao medicamento;
  • Pessoas com certas condições neurológicas como a doença neuromotora;
  • Doenças ou medicamentos que alteram a coagulação sanguínea;
  • Infecções no local da aplicação.